Diário: 2012

Passei tanto tempo longe, sem postar nada, estava ocupada demais com a escola e as revisões para o vestibular. O que tudo indica é que as férias estão vindo e com elas muitas novidades (positivas ou negativas). Amanhã (02/12) farei minha segunda prova de vestibular, e no dia subsequente farei a 2ª etapa do mesmo processo seletivo, estou sem medo, na verdade sem nenhum sentimento.

Não sei a que ponto isso é bom, eu poderia estar mal, me descabelando, mas tô tranquila e isso realmente me assusta, afinal eu passei o ano todo lutando pelo meu sonho, abdicando de várias coisas, pessoas, lugares e momentos. Será que tudo isso foi em vão? Espero que não. Vim aqui para fazer uma retrospectiva sobre esse ano…

Primeiramente, eu decidi morar longe dos meus pais, vim para outro estado tentar mudar minha vida, não estaria tão bem assistida como aqui (Belém). Minha irmã já morava aqui, então de certa forma foi uma ajuda para a adaptação. Não curto sair por aí chamando todo mundo de amigo sem conhecer, sou meio tímida (com quem não conheço, aos que conhecem pêsames), então prefiro me fechar, até porque nem todas as pessoas são confiáveis o suficiente para eu sair contando tudo. Confesso que eu exagero, fiquei muito tempo sem falar com ninguém no colégio, até que apareceram duas meninas que fizeram questão de lutar pela minha amizade.

A Larissa e a Luana, e elas realmente valeram a pena, viraram minhas amigas de verdade, sem elas eu simplesmente não teria aguentado toda a adrenalina desse ano. Vivi momentos extremamente intensos, entre a dor e a felicidade, e sempre pude contar com elas, para tudo. Eu estudava a tarde, mas percebi que eu não rendia nada, não conseguia estudar direito, vivia cansada, então mudei para turma da manhã, onde mais uma vez me fechei para tudo e para todos, mas sempre existem pessoas boas que estão dispostas a te ver sorrir, uma delas foi o Wendel, aguentou as minhas crises histéricas, meus momentos de raiva, grosserias, tristezas, loucuras e esquisitices.

Então vieram as férias, parecia um Zombie de TWD, eu vegetei demais com diversos acontecimentos, então a Luana me arrancou do poço, a Bruna veio ouvir meus desabafos e limpar minhas lágrimas, a Flávia e a Bia me dar um UP em uma tarde triste. Na verdade só melhorei quando eu realmente vi que para as coisas mudarem teria que partir de mim, era uma luta diária contra minhas vontades e impulsos. No início tudo parece incurável, mas não é, precisamos de tempo, música, pessoas boas e boas noites de sono. A pessoa que falou “Nada como um dia após o outro” ela estava certíssima.

Então, mais uma vez no colégio, pude conhecer a Anna que me fez sorrir todos os dias. Comecei a trabalhar como maquiadora, a ganhar algum dinheiro para comprar minhas futilidades que só a mesada não ajudava pagar, enfim me ajudou, eu parei de fotografar e até agora não retomei meu hobby, estou esperando pelas férias para fazê-lo. É tão bom fazer o que você gosta, é renovador.

Não tem como não deixar de falar de pessoas que não me largaram um momento se quer, a Ingrid(irmã), a Raíssa(prima) e o Fabrício (primo), Deus colocou anjos no meu caminho, indiscutivelmente foram eles. Minha irmã vinha e me chamava de pequeno Pokemom, fazia de um tudo para me fazer rir e me levantar; a Ráh é minha psicóloga, sem ela eu acho que não teria tido tanta coragem de mudar, mudar por mim e mais ninguém; e o Fabrício esse não sabe dar conselho, mas tem um abraço renovador e protetor.

Esse ano foi o ano das séries (hahahaha), descobri minha paixão, meus seriados, para quem curte vou fazer postagens sobre todos eles durante as férias. Também tinham as tarde de domingo que eu ia a pé à Fox alugar dvd’s, eram muito trash o sol quente, mas sempre valia a pena.

Enfim, chegou dezembro, eu só tenho a  agradecer por ter pessoas maravilhosas que me cercam todos os dias, me dando força, eu aprendi muito de verdade, eu aprendi que se você quiser que as coisas deem certo elas têm tendência a dar, normalmente acordamos tristes ou sem vontade, deixando a maré levar, acontece que você não é um plâncton e a vida tá passando, todo dia é uma oportunidade que você tem de ser feliz, de renovar as esperança e viver novas experiências. Não importa o que tenha acontecido, ninguém é igual, não é porque alguém te feriu que todos farão o mesmo. Permita-se viver intensamente.

O que você achou do post?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: